31 de out de 2009

Show fora, show dentro?

clip_image002O circuito de Yas Marine em Abu Dhabi tem um visual futurista lindo. Integrado a um grande resort que contém parque temático da Ferrari, um luxuoso hotel com passarela sobre o circuito e uma marina lindíssima para muitos dos milionários que irão visitar o circuito estacionar seus iates, e símbolo claro de poder e riqueza que ainda ostenta a região do Golfo Pérsico, através dos seus petrodólares que tem regrado a economia mundial.

Porém, nem todo o dinheiro do mundo fez os árabes criarem uma pista boa. Pelo contrário, em muitos aspectos esta pista pode ser considerada bem retrograda. Com pouquíssimas áreas de escape, guard-rails próximo nas retas, vários trechos de curvas travadas em 90 graus, inclusive no final da “nova” maior reta da F1 com mais de 1.200 metros (uma vez que Fuji não sediará mais provas da categoria), fica evidente que o circuito não privilegia a disputa por posições.

Outra coisa que me chamou a atenção é o fato de que em alguns pontos da pista existe área de escape pintada em azul e branco, do mesmo jeito que existem variações do traçado em diversas partes, utilizando a mesma pintura para diferenciar o traçado a ser utilizado na corrida, além de um túnel na saída dos boxes. Novidades? Nem tanto. Isso só fez parecer que alguém criou este circuito baseado no que já existe e já existiu em Paul Ricard, na França.

clip_image004

Finalizando, se você quiser um dia ir para Abu Dhabi assistir uma corrida de Formula 1 prepare-se para uma viagem alucinante em tudo que existe em volta da pista. Porém, na hora da corrida, não espere um show. Somente na hora que a luzes artificiais substituírem o Sol, que também é outro espetáculo de imagens.

Ps: Este post foi escrito e reproduzido para o Velocidade, da Barbara Franzin e Anderson Costa, pelo dono deste blog. Obrigado pelo espaço gente!

29 de out de 2009

E o que tem de novo no Orkut?

image

Como muitos já devem saber, hoje estreou uma nova versão do Orkut, baseado no GWT – Google  Web Toolkit. Esta plataforma é a mesma utilizada para o Google Wave, ainda em operação beta e disponibilizada através de convites. Aliás, o novo Orkut também está sendo disponibilizado através de convites cascateados para algumas pessoas. Gostaria de agradecer a Baunilha do Smelly Cat por disponibilizar este convite para mim! :-)

Para iniciar, testei o novo Orkut nos três principais browsers disponíveis em suas versões finais mais recentes: Firefox 3.5, IE8 e Chrome 3.0. Por ser um produto Google, da para perceber que o novo Orkut roda muitíssimo bem encima deste navegador. E para minha surpresa, o pior tempo de resposta é do Firefox, que apresenta algumas pequenas falhas na hora de carregar a rede social. Também fiz o teste em cima do IE6 e o resultado pode ser verificado nesta foto aqui abaixo.

 

clip_image002[4]

Logo de cara, o impacto visual é extremamente agradável. Como muitos suspeitavam em certos detalhes lembra muito o Facebook. Porém, a usabilidade do Orkut manteve-se fiel ao que é utilizado dentro de todos os Aplicativos Web do Google, principalmente o Gmail. Fica evidenciado que a preocupação de não descaracterizar a rede social na sua origem foi eficaz neste ponto.

Seguindo no teste, observei as principais funcionalidades alteradas. Uma delas é maior visibilidade para os updates de seus amigos. Agora, você tem a possibilidade de comentar em qualquer uma das atualizações que aparecem no grupo de “Friend Updates” da sua lista, algo bem utilizado no Twitter e que foi adaptado para Facebook recentemente. Cabe ressaltar que não é possível ver as atualizações em tempo real como acontece no Facebook, você deve interagir com algum elemento de pagina para verificar se houve alguma atualização.

 

clip_image004[4]

Outra funcionalidade bastante modificada é a forma de atualizar as fotos. Agora, não é necessário abrir diversas paginas para efetuar a atualização, bastando apenas um clique no botão “edit” para alterar permissões, inserir legendas e editar posicionamento das fotos. Além disso, a possibilidade de avisar aos seus amigos via e-mail que eles têm permissão para acessar a foto selecionada. Conseguir perceber alguns erros nesta parte, como uma chamada de alguma API do GWT para salvar uma mudança na foto mesmo quando ela é cancelada no Firefox. Isso não acontece no Chrome e no IE

 

clip_image006[4]

Mais uma mudança é que você pode colocar um Vídeo como Testemunhal no Orkut. Infelizmente, esta funcionalidade ficou aquém do que esperava. Enquanto no Facebook você tem a possibilidade de gravar o vídeo através de mini aplicativo em flash, o Orkut restringe a possibilidade apenas a inserir uma URL do you tube para anexar um vídeo a pagina da pessoa. Muito pobre.

 

clip_image008[4]

Uma pequena mudança porém muito funcional é a possibilidade de visualizar todos os seus amigos e comunidades na tela principal através do seu avatar. E ainda a possibilidade de mudar a cor do cabeçalho das paginas, mas algo bem pequeno perto da possibilidade de adicionar planos de fundo como acontece no iGoogle ou no Gmail.

Por enquanto, estas mudanças estão restritas aos profiles de alguns usuários. O visual de comunidades e de paginas de configuração não está sendo feita através do GWT e para estes perfis esta sendo utilizado um layout hibrido. Vale ressaltar aqui que o Google anunciou que nos próximos meses ainda existirão inúmeras mudanças até que toda a estrutura seja migrada para o GWT.

Concluindo, as inúmeras mudanças no Orkut foram eficientes e vão de acordo com o que foi mostrado pela empresa na sua apresentação. Eu gostei das alterações e creio que elas poderão ser bem aceitas por todos os usuários, desde aqueles que entram uma vez por mês até para os heavy users e evitar uma possível migração para outras redes sociais, principalmente Twitter e Facebook.

27 de out de 2009

Onde a Paz não tem vez

Este video foi retirado do primeiro episódio da nova temporada do programa “Conexões Urbanas” do Multishow, onde José Júnior, Coordenador executivo do grupo AfroReggae, fala sobre a guerra urbana que acontece no Rio de Janeiro. O nome do video: “Uma mudança nas Favelas”

 
Um fato que chama atenção no primeiro minuto de video é quando Jose Júnior pondera para o Delegado da Polícia: “Raramente agora tem tido troca de tiros” para em seguida perguntar “Por que voce acha que eles(crime organizado) tem evitado confrotos com voces?”. Outra parte que chama atenção é aos 02 minutos e 30 segundos do vídeo o policial falando sobre a diminuição dos casos de violência por conta da utilização do Helicoptero da Policia nesta ações, o que teria ajudado no combate entre Policiais e Bandidos nos morros cariocas.
 
Após ver isso, cheguei a uma conclusão: nada deu certo até agora. NADA! Quando alguém fala que as trocas de tiros diminuiram e temos recursos como um helicoptero fazendo proteção ostensiva para população gerando uma expectativa de sucesso, alguém vai lá e mostra quem manda. E os Tiroteios? Bom, eles voltam para justificar uma ação do Estado contra o Poder Paralelo estabelecido.
 
E o AfroReggae, que trabalhando no terceiro setor busca um caminho para acabar com esta guerra, sofre uma baixa com o assassinato do seu coordenador, numa situação onde o descaso e a omissão beira o absurdo.
 
Mas absurdo mesmo é pensar que as poucas coisas que valem a pena estão perdendo o sentido e não tem mais o valor que deveriam ter. É duro pensar que no momento em que o Brasil está numa situação economica boa, a segurança continua com os mesmos problemas que se iniciaram lá atrás nos anos 70 e que parecem não ter solução. E isso não é um problema local. Vivo com alguém que vive sobre constante ameaça por conta do trabalho dela, que tinha uma proposta que “não foi aceita” por aqueles que realmente mandam. Afinal de contas, para que dar esperança se ela não existe de fato. Uma pena.
 
 

26 de out de 2009

NFL além das divisas

Todo ano, a National Football League promove jogos da temporada regular fora do solo americano, para promover um pouco do esporte mais importante do Tio Sam. Este ano, o time do New England Patriots, do maior astro da liga atualmente Tom Brady, enfretou o Tampa Bay Buccaners no estádio de Wembley, em Londres. A estrutura envolvida em um jogo de futebol americano faz com que a moderna arena inglesa nem pareça um estádio de futebol. Veja o vídeo abaixo referente ao jogo e comprove:

E esta estratégia da NFL de levar jogos para fora do EUA já fez história muito antes desse evento na capital da Inglaterra. Até a temporada deste ano, o recorde de público de um jogo pela temporada regular era o confronto entre Arizona Cardinals e San Francisco 49ers que foi realizado no Estádio Azteca, no México, com um público total de 103,467 espectadores. Porém, neste ano o recorde foi quebrado no jogo entre Dallas Cowboys e New York Giants no modernissimo Comboys Stadium, em Arlington/Texas, onde os fãs dos Cowboys pagaram muito caro para o primeiro jogo da história da temporada regular desta novissima e belissima arena. O publico total foi de 105,121 espaectadores.

22 de out de 2009

Por que acessibilidade?

acessibilidade Esta resposta é tão simples que chega a ser difícil escrever muito mais do que duas linhas para responder: é direito de todo mundo, independente de condição física e social, ter o mesmo tipo de acesso seja a informação, seja alguma estrutura física ou por pura discriminação.

Acessibilidade é um assunto importantíssimo, e diferente do que muitos podem pensar, não é modismo. É necessidade. Abrir a possibilidade de alguém poder explorar seu potencial por métodos diferentes do habitual utilizando diversos fatores traz uma série de benefícios para sociedade, como:

- Economia para uso de materiais poluentes;

- Promove integração social;

- Auxilia o processo de sustentabilidade;

- Expande a economia para mercados diferentes;

E isso são apenas benefícios que vêem na minha mente agora. Mas existe uma série de outros que auxiliam na importância de projetos que busquem acessibilidade.

Alias, tenho que admitir que virei fã de um “projeto”, utilizando a definição do PMBOK de fomentar um trabalho único: o blog da Arquiteta Thais Frota. Tudo que eu tento passar com poucas palavras aqui ela fornece com muito mais propriedade. E ela não comenta só de acessibilidade na arquitetura. Por conta de sua paixão por esta palavra e tudo que circula em volta dela, das dicas em geral, como tecnologia em informática, políticas que incentivam estas ações etc. Porém, como todo mundo sabe, para entender uma paixão e preciso se apaixonar. Posso dizer que entendo a paixão dela, e recomendo a todos deixar esta paixão tomar conta de vocês.


Por sinal, neste final de semana, acontece o Teleton, evento em pró da AACD, e este ano, muitos blogueiros foram chamados para participar e falar das suas impressões do evento. É claro, a Thais está escalada Para saber todos os blogueiros, entrem aqui. Posso ter certeza quem acompanhá-la durante o evento via blog ou twitter entenderá minhas palavras acima.

21 de out de 2009

Formula 1 em resumo – A temporada

Com os títulos do campeonato de construtores e de pilotos definidos, já é possível fazer um resumo do que houve nesta temporada. Vamos do início:

A surpresa sem dúvida nenhuma foi a Brawn GP. Equipe formada a partir do espólio da falida Honda, ninguém esperava um grande resultado dela no início. O que não se sabia era que o pacote aerodinâmico desenvolvido para esta temporada era muito bom, anos a frente dos outros times da categoria, e ainda recebeu um upgrade e tanto: o motor Mercedes, que comprovou ser o melhor da categoria.

Porém, o carro da Brawn não era perfeito. É só lembrar que Rubens Barrichello teve alguns problemas no início do ano com ele. E a conseqüência foi a brutal diferença que foi aberta por Jenson Button, quando conseguiu 6 vitórias nas 7 primeiras corridas. Todo mundo decretava após o GP da Turquia que o título já era dele. Foi questão de administrar e isso foi fundamental: quando o carro esteve nas mãos de Rubens com bem menos problemas, ele conseguiu excelente resultados. Aliás, Rubinho é melhor piloto que Jenson, mas ambos tinham carros totalmente novos, com características nunca antes experimentadas pelos pilotos. E dentro deste cenário, o inglês se destacou em cima do Brasileiro

Alguns poderão se perguntar por que a Red Bull, equipe que não tinha vitória nenhuma antes desta temporada e que rivalizou com a Brawn a disputa na maioria das provas do ano não foi considerada uma surpresa para eu. Pelo simples fato que a evolução da Red Bull foi mais natural que das outras equipes. E ninguém esperava quedas tão abruptas de BMW, Renault, Ferrari e McLaren, todas prejudicadas no desenvolvimento dos chassis por conta da utilização do KERS, que de novidade tecnológica passou a ser tratado como lixo. Portanto, palmas para Red Bull, que conseguiu um trabalho exemplar e andava de igual para igual com as equipes que utilizavam o difusor duplo.

Aliás, o difusor duplo foi a maior polêmica deste novo regulamento da F1. Os carros novos tiveram redução nos aerofólios traseiros e aumento do bico dos carros para aumentar o arrasto aerodinâmico, proporcionando um maior número de ultrapassagem durante as corridas. O que aconteceu foi o contrário, pois algumas equipes desenvolveram várias estruturas para manter os carros aerodinamicamente no chão. Vocês podem notar que no inicio do ano o bico do carro da Brawn era completamente diferente dos outros, pois ele foi feito para jogar o fluxo de ar para o centro do assoalho, onde existe o difusor que gerava um turbilhão de ar em apenas uma determinada linha. Com isso, o carro ficava preso pois a pressão do ar cima era muito maior. E o difusor aumentou ainda mais esta pressão e as maquinas da F1 ficaram ainda mais dependentes da aerodinâmica. Esta opinião não é só minha, mas de muita gente do meio. Alguns artigos que falam sobre tema é este do Andre Jung e este do Ivan Capelli no ínicio do ano mostra como foi confuso isto.

Porém a formula 1 viveu este ano muito mais nos tribunais do que dentro da pista. Seja Renault ou Hamilton ou as equipes dos difusores no inicio do ano ou ainda as novas regras que o Max Mosley gostaria de implantar para atrair mais garagista e menos montadoras que quase ocasionou um racha na categoria, tudo foi motivo para tirar o foco das pistas e olhar para salas com os homens de terno tentando achar uma melhor solução para tudo. E sabe o que é pior: muita coisa na pista deixou a desejar. Provas fracas como Valencia, Cingapura e Turquia decepcionaram que gosta de corrida e de F1.

Em suma, o que aconteceu este ano deve ser repensado e analisado pelo novo presidente da Fia seja ele quem for, por Bernie Ecclestone e por todo mundo que quer o bem da competição, independentemente do motivo. Se no ano que vem a coisa degringolar de novo para as decisões dos homens de terno em vez dos homens sujos de graxa, pode ser o fim de uma era do automobilismo no mundo todo. Que faz tempo já não tem o romantismo de antes e agora pode significar perdas muito maiores do que antes.

20 de out de 2009

Bolas e Balões

Depois da farsa acontecida nos Estados Unidos, que ficou mundialmente conhecido como Balloon Boy(leia este artigo em ingles, um dos mais completos que eu li sobre o fato), outro objeto esferico voltou a causar problemas. Só que isso ocorreu no Campeonato Inglês, durante a partida Liverpool e Sunderland no último domingo. Veja o lance, que foi validado pelo arbitro, já devidamente suspenso:

 

Pobre do Reina, foi atrás do balão vermelho, que não teve sua trajetória alterada pela bola, e sim foi desviada pelo lateral Glen Johnson do próprio time. Mas nenhum corpo estranho pode interferir numa partida de futebol, e isso invalidaria o Gol. No Brasil eu lembro não de balões, mas de gandulas aprontando boas para evitar gols

19 de out de 2009

Formula 1 em resumo – Corrida de Interlagos

Excelente a corrida de ontem em Interlagos. Corrida de automovel que proporciona disputa entre equipes e pilotos, onde existe embate não pode ser considerada uma corrida ruim. E definitivamente não foi. Porém, cabe a ressalva que isso ocorreu porque o grid estava embaralhado devido a chuva de Sabado, que fez varios carros rapidos largassem das últimas filas.

Houve inumeros personagens nesta corrida, como Button passando todo mundo e fazendo uma corrida de campeão; Hamilton mudando estratégia e imprimindo um ritmo de corrida muito rapido mesmo com o tanque cheio; Kamui Kobayashi mostrando espirito de GP2, dando “xis” no Button e fazendo uma ultrapassagem ousada no pobre do Fisichella no final da corrida; o Barbeiro Nakajima e o brigão do Trulli, que na confusão com Sutil tiraram o Alonso de uma corrida que ele provavelmente não iria fazer nada mesmo.

(Alias, Nakajima e Sutil/Trulli/Alonso me fizeram observar como o Interlagos é um circuito perigoso. A pista é estreita demais e falta em varios lugares proteção melhores para evitar acidentes mais graves. Na resta oposta e subida para o laranjinha falta muros e cercas de proteção. Como eu fiquei com medo do carro do Nakajima e do Grosjean na sexta voar por cima daqueles guard rails…)

Só que personagem mesmo da corrida é o Raikkonen. Ele é rapido com um carro ruim, quase buscou a segunda posição na largada, levou um toque do Sutil, ficou em terceiro até o final da reta oposta, ao fazer uma barberagem ao bater no carro do Webber (o que causou todas as outras confusões da corrida). Foi para último lugar e na volta a pista, levou um banho de combustivel devido a mangueira de combustivel levada pelo carro do Kovalainen, lembrando muito Massa em Cingapura, o que ocasionou quase que instantaneamente o carro pegar fogo. Mesmo rapidamente, a imagem assusta.

Para ilustrar a parte mais interessante desta corrida, o inicio, peguei este video abaixo que do Velocidade da Barbara Franzin e Anderson Costa

E o Barrichello? Bom, Barrichello fez o possivel. Não teve a sorte de outras corridas, mas foi muito competente na sua pilotagem e teria tudo para terminar no pódio esta prova. Agora resta ele lutar pelo vice-campeonato. Mas uma coisa me intriga. Muitos dizem que Barrichello não poderia ser campeão. O Campeão deste ano só tinha uma vitória antes desta temporada e estava indo para fila do desemprego junto com o próprio Rubens. Porque o Button mereceria e o Rubinho não? Isso eu vou tentar explicar no segundo post sobre Formula 1, sobre o campeonato e sobre esta temporada totalmente maluca deste ano.

16 de out de 2009

William Bonner e as Redes Sociais

Video publicado no Globo.com do programa Estilo GNT, onde Willian Bonner fala sua experiência com as redes sociais, vide o sucesso que ele tem conquistado com os usuários que seguem no Twitter

Sensacional!

13 de out de 2009

Qual é o nome do vencedor?

Juca Kfouri, grande jornalista dos canais ESPN, UOL, CBN e Folha de São Paulo, sofreu na última segunda feira, durante o programa linha de passe. Acho que nem cabe muita explicação né:

Como diria o povo no Twitter, #euri!

12 de out de 2009

Nossa infância

pirulito Hoje, dia 12 de outubro, muitos usuário do twitter utilizaram a hashtag #tuitesuainfancia para falar a respeito do que eles faziam quando crianças. O choque quando voce faz uma pesquisa utilizando esta referência é enorme. São tantas variações, tantos comentários diferentes. Alguns lindos, outros sarcasticos, mais tantos nas entrelinhas e muito deles histórias que ficaram eternamente na mente das pessoas. E não tenho dúvidas que muitas mensagens dessas reflete transformações e mudanças que o mundo passou por muito tempo. Nesta brincadeira, um antropologo iria se divertir bastante.

Veja aqui algumas das frases que durante a pesquisa básica:

E para completar, ainda tem o post do novo blog do Sampson Moreira, o Blogurinhas, onde ele colocou as fotos de varios perfis do Twitter com a foto de criança. Tem até a minha ali!

Argentina na Copa!

Bom, estamos perto do jogo mais importante da semana no futebol mundial. Porque a seleção do melhor jogador no mundo na atualidade pela crítica e que muito provavelmente será eleito pela Fifa na próxima eleição de melhores da última temporada, irá atuar em um classico do Futebol necessitando da vitória para não ficar fora do Mundial. Sim, está chegando Uruguai x Argentina, para definir ou não sua classificação. E hoje não quero enrolar muito: Estou na torcida para a seleção Argentina. Mas queria saber a sua opinião: Argentina ou Uruguai? Vote na pesquisa abaixo:

11 de out de 2009

Resolvendo um Quebra Cabeça

Não tenho como afirmar qual estrutura de TI por trás do Twitter. Seria um erro apontar o funcionamento dele por completo. Porém, existem algumas coisas que são obvias. Uma delas deve ser a existencia de uma chave primária que identifica a propriedade de alguém em qualquer sistema onde as pessoas inserem login e senha.

O que é esta chave primária? Por definição para quem trabalha com Banco de Dados, é algo bem simples mas que pode parecer um pouco mais complicado para quem não é da área de informática. Tentando simplificar, é o identificador primário ÚNICO de qualquer sistema. Normalmente é utilizado um código númerico, para que não exista duplicidade de dados. Em outras palavras, que exista uma unica referencia em um sistema para determinado usuario. Assim, para o sistema, nunca existirá um usuário igual, mesmo com outros dados compartilhados

Então, quando acontece algo errado em um sistema e não da para corrigir pelas telas do sistema, é possivel fazer alguma alteração através de linguagem de banco de dados (SQL, para leigos). Existem diversos padrões e empresas que fornecem esta linguagem para banco, porém a estrutura do código é a mesma.

Ou seja, quando voce verifica algum problema em um sistema web, muito provavelmente deverá ser verificado se a integridade dos dados mantem se iguais. Em muitos casos, ao rodarem scripts, que nada mais são comandos em linguagem para executar uma determinada tarefa, podem sincronizar as informações do jeito que eles desejarem. Lógico que para tal evento é preciso ter determinados previlégios de acesso ao bando e conhecimento grande de SQL.

Isso não deve ser muito diferente no Twitter, e esta é provavelmente a solução comumente utilizada para recuperar uma conta quando alguém rouba a senha. Eles buscam no banco o ID original da pessoa hackeada, muito provavelmente armazenada em um Data Warehouse, confirmam os dados atuais, rastream no banco que esta possuindo este ID e rodam um script para dar um insert e a pessoa obter de novo seus dados.

Lembro que isso é uma suposição baseado no funcionamento do Twitter pela perspectiva do usuário e de como funciona a API, que eu já dei algumas olhadas. Por sinal, o Tweetie, um cliente de Twitter, retorna um valor na home do usuário que pode ser a chave primária necessária para saber de quem é o perfil.

E tudo isso foi um quebra cabeça que eu montei na minha cabeça devido a provocação do Cardoso hoje, que eu levo numa boa como sempre. Mas isso tudo é especulação. E o Twitter que trate de arrumar tudo ai!

10 de out de 2009

Twitter da Rosana Hermann Hackeado

Aproximadamente 20 minutos, foi hackeado o twitter da Rosana Hermann por alguém chamado Bruno Malhaens. Por enquanto a dona do blog Querido Leitor, está usando este perfil como Back-Up. O problema é que alguém logo em seguida registrou o nome Rosana enquanto a conta estava suspensa.

Esta confusão já está tornando-se normal no Twitter. Varias pessoas tem suas senhas hackeadas por diversos hackers. Neste momento, a conta do Bruno Malhaens já foi desativa e provavelmente tudo irá se reestabelecer logo, porém fica exposta a fragilidade de controle dos profiles do twitter. Politicas de segurança devem ser prioridade neste momento. Não é o primeiro caso e nem será o último disso ocorrer. Uma pena

Atualização 23:30 - O nome da pessoa que assumiu a conta da Rosana é o Tulio, que devolveu o nome original para dona. O problema agora é que a antiga conta esta sendo renomeada constantemente, fazendo com que ninguem consiga rastrear os followers e followings que eram dela. Se voce seguia a Rosana, pode adicionar o profile dela sem medo, mas vai ser um novo ID, com uma mascara igual.

9 de out de 2009

Imagem Curiosa

Esta imagem é antiga e bem confusa. Não da para ver muita coisa por conta do trem que estava ao lado do Onibus da onde eu tirei esta foto. Porém, a curiosidade esta nisso. Esta foto foi tirada na Rodovia Anhanguera, perto do trevo da Bosch. Um trem no meio da rodovia no interior paulista. Uma situação pouco comum. A explicação esta aqui. Neste dia eu contei 10 vagões passando.
Posted by Picasa

7 de out de 2009

Magdalena Maleeva

Como a história é injusta e cruel as vezes. Magdalena Maleeva nunca foi uma grande atleta. Nunca conseguiu um titulo de Grand Slam na história do Tenis Feminino. Não teve nunca o destaque por sua carreira como atleta. Mas ela fez eu ficar emocionado. Ao assistir a ESPN hoje, uma cena fez lembrar da primeira vez que achei que Esporte não fazia bem, que dividia as pessoas em vez de aproximar. E Magdalena Maleeva é personagem coadjuvante, mas com destaque fundamental:

Monica Seles sendo atacada por um fã de Steffi Graf durante Torneio de Hamburgo
 

Repare o terror na cara da Magdalena durante o ocorrido. Eu tinha 9 anos quando isso aconteceu, e mesmo assim fico chocado e emocionado ao lembrar de tal fato. E acho que ficaria do mesmo jeito caso ocorresse algo assim na minha frente numa ocasião desse tipo.

5 de out de 2009

Recolhendo.

As grandes histórias que narravam o futuro antes da década de 90 como Admirável Mundo Novo, Blade Runner e Eu, Robô mostravam um mundo com uma evolução tecnológica enorme, muitos com algumas fantasias até exuberante e fantástica, como seus carros voadores e robôs que estariam entre nós como se fosse um poste de luz ou uma placa de sinalização de transito. E estas obras também mostravam narrativas com a violência exacerbada de uma hipotética sociedade violenta e em crise moral onde o personagem principal não consegue assimilar todas as mudanças ao seu redor com os vários distúrbios em que ele enfrenta. E este personagem é o homem.


O mundo passa, chegamos ao novo milênio com evoluções muito maiores do que se esperava, mas infelizmente com um mundo tão violento quanto era previsto. Medidas que eram vistas como fantasia também ficaram comuns e muito longe dos enredos de livros e filmes. As histórias fantásticas já não eram tão fantasiosas, pois a ficção em um conjunto grande tornou-se cotidiano, visto facilmente por um clique de mouse ou de uma pagina aberta no seu Smartphone.


Então depois dessa introdução, vamos a analise dos fatos. Quando você lê que um pais numa crise enorme, como Honduras, ordena o povo não sair de casa, muitos podem pensar que isso é forma de conter protesto, cessar a comunicação entre os envolvidos e principalmente, evitar os conflitos em campo. Ou seja, que tal atitude visa preservar aqueles que não estejam envolvidos diretamente. Não deixa de ser verdade, porém de fato isso não é o motivo principal, além de ter como agravante liberdade do cidadão de ir e vir cerceada.


Então, quando isso acontece em um país que não tem uma guerra declarada com ninguém? É isso que acontece na Bahia, onde jovens menores de 18 anos não podem sair da rua depois de determinado horário, dependendo da idade. E isso é uma tendência já, pois outras 5 cidades no Estado de São Paulo também tem a mesma lei. Em suma, o futuro que eu li e assisti também está diante dos meus olhos. E meus filhos, será que viverão isso? Talvez não. Muito provavelmente porque eles estarão recolhidos em casa a partir das 9 da manhã...


Antes então de recolher o barco, mais uma questão que eu deixo para quem entrar no blog: Você é contra ou a favor ao Toque de Recolher? Vote abaixo e deixe sua opinião nos comentários.


Este post foi escrito com a ajuda do meu amigo Thales, que achou a Matéria da Bahia muito interessante para este espaço.

2 de out de 2009

O dono do mundo

Barack Obama é a maior novidade política da história. Seus discursos são aplaudidos e elogiados no mundo todo. A oratória dele chega quase a perfeição segundo muitas pessoas:

 

 

Foi eleito presidente da maior nação do mundo para tentar mudar a cara de uma país muito marcado pela gestão George W. Bush. Foi o primeiro negro a conquistar tal fato. Dizem que tudo que ele quer ele consegue.

Não é bem assim ultimamente. Obama está sofrendo uma cobrança interna muito grande por conta da reforma da no sistema de saúde, e hoje, sofreu uma derrota grande quando prestou a utilizar seu apoio na campanha derrotada de Chicago para ser sede olímpica, que como muitos já sabem, será no Rio de Janeiro.

Este pode ser um lado, mostrando a fragilidade de um pais que busca ficar no topo de qualquer maneira.

Mas, existe um outro lado, que lembra a história do Obama, mas que já perdura por 7 anos. Mesmo com todos os erros de sua administração, protegendo as mesmas pessoas que já deveriam ter sido execradas da sociedade e acobertando toda a corrupção que marca e continua a marcar este pais durante decadas, esta conquista mais uma vez se deve a figura do presidente Lula.

Lula disse varias vezes durante a campanha olímpica que este país não era mais o mesmo e que merecia esta oportunidade, e bradou “Sim, nós podemos!”, utilizando a simbólica frase do presidente americano na sua eleição. Nos bastidores, trabalhou duro para conseguir votos importantes. E deu certo, pois na eliminação de Chicago na primeira parte da votação, de 21 votos disponíveis, o Rio conseguiu 20 votos. E na hora que apareceu em público, Lula foi para o público e fez a festa do jeito que gosta. Falou para o povo quando ja tinha os bastidores domados.

 

 

Eu tenho sido muito critico deste governo por tudo que vem ocorrendo, mas seria tolo se não dissesse que Lula teve uma influência muito maior nesta decisão do Obama. Sem dúvida, ele já é o presidente mais importante da história do país, pelos índices de popularidade e pelos eventos que ele conseguiu durante sua gestão (Copa do mundo e Olimpíada). Nem mesmo tudo que Getúlio fez o fará ser tão lembrado quanto o que Lula conseguiu.

Hoje com certeza Lula irá dormir com a sensação de ser o dono do mundo. Do jeito que as coisas andam, sim ele pode pensar isso. Por hoje sim.

 

1 de out de 2009

Olimpiada no Brasil? Sou contra!

Bom, antes de começar: não é nada contra ao Rio de Janeiro. Alias, acho que o único lugar que deveria sediar a Olimpíada no Brasil seria o Rio de Janeiro, por sua beleza, importância histórica e visibilidade internacionalmente reconhecida e comprovada. Por tanto, não é aceitável dizer que existiria de minha parte uma torcida contra ao Rio, mas sim, uma Torcida contra o Brasil, independente do local.

Então vamos lá. Vou ressaltar a parte boa da conversa. O Brasil é economicamente um país forte e reconhecido como força expoente no mercado internacional. Portanto, teria tanta força nesta disputa como teve Pequim quando eleita para sediar a Olimpíada de 2008. Afinal de contas, um pais que arrecada mais de 700 bilhões de reais no último ano, tem como bancar toda estrutura requerida para um evento deste porte, certo? É quase isso, porém…

Existem duas questões que me preocupam e que vêem a frente da questão econômica, muito difundida como questão primordial para realização aqui. A primeira é o famigerado “Legado”. Seja ele social, seja ele de infra-estrutura, estamos em frente da mesma questão que tomou conta no inicio desta década quando da escolha do mesmo Rio de Janeiro para sede do Pan-americano de 2007 até sua realização, onde ficou mais do que evidente que não houve nenhuma melhoria clara para cidade. Houve promessas desde a despoluição da baia da Guanabara, como aparelhamento e melhoria da segurança pública e criação de uma nova linha do metro para facilitar o transporte. Nada disso é visível atualmente e a sociedade carioca ainda sofre dos mesmos problemas sociais que iriam ter melhorias. Em algumas áreas, a situação até piorou. E no final, apenas sobraram elefantes brancos, como o complexo Maria Lenk, que não pode ser usado numa eventual Olimpíada, o Engenhão, que não é utilizado pela comunidade em volta do estádio como deveria ser, além da Arena Olímpica, que foi cedida para Iniciativa Privada e transformou-se na Arena HSBC.

E por que isso aconteceu? Esta é minha segunda preocupação: incompetência política. Esta incompetência foi averiguada claramente não só referente a estes casos acima, como também os abusos que o TCU verificou nas contas do Pan e a falta de uma política esportiva voltada para massificação do esporte e investimento em saúde. Afinal de contas, como o evento Maximo pode ser realizado em um País onde não existe isso?

E modelos que unem estas duas questões e um projeto bem elaborado para construção de um evento esportivo de grande porte existiam e não foi utilizada a época do Pan. Barcelona 1992 é o maior exemplo de legado deixado para sociedade. E não foi uma tarefa simples, pois houve muito jogo político em volta, além do esforço para gestão dos recursos em pró da execução plena do projeto. E agora, os catalões aproveitam todas as melhorias feitas no inicio da década de 90 do século passado.

Outro exemplo de legado e competência política é a cidade de Mar Del Plata, como mostra a reportagem da ESPN Brasil exibida no inicio do ano:

Se convivermos com um exemplo bem recente da má gestão, porque confiar que daqui a seis anos, com as mesmas pessoas no poder, algo mude? Se fosse algo para daqui a 20 anos, com pessoas novas e uma mentalidade diferente. Mas para agora, não dá.

E a pesquisa que eu deixei referente no post anterior, mesmo com erro de digitação no titulo e sem nenhuma conotação ciéntifica, comprova que muita gente acompanha a minha idéia: 100% dos votos foram para o Não!

Google+



Site Meter