30 de nov de 2009

Falha Total no JG

Esta é a melhor emissora do País.

Coitada Cristiane Pelajo…

28 de nov de 2009

Uma guerra, um jogo

Josep Sunyol era um visionário de esquerda em um período tenso na Espanha, na época do ditador Primo de Rivera. Foi fazendo carreira como advogado, jornalista e  politico. E tinha uma paixão enorme pela Catalunha. Abraçou esta paixão através do maior figura deste povo, o F.C Barcelona. Foi diretor do time na mesma época que formou um jornal chamado La Rambla, de vertente esquerdista. Um alvo em potencial para um cenário político tenso e cheio de espinhos, ainda mais atingindo vôos mais altos, como a presidência do Barça em 1935.

E após tantos fatos que marcaram o cenário político espanhol, com as complicadas eleições de 35 e a conspiração que culminou com a morte de José Calvo Sotelo e o golpe militar que levou o General Francisco Franco ao poder, para insurgência da Catalunha contra este ato e posteriormente guerra civil que perdurou uma matança desenfreada na década de 30. Um dos primeiros alvos do General Franco foi o presidente Josep Sunyol, assassinado pelo soldados de Franco na região Sierra de Guadarrama.

E assim começou o período de 40 anos de dominação de Franco e sua perseguição contra o povo da Catalunha, que perderam a guerra e sofreram as consequências disso. Qualquer forma de expressão referenciando aquela região era devidamente banida. Por conta disso, a bandeira Catalã foi retirada do escudo do Barcelona durante este período.

E neste período, Barcelona e Real Madrid continuavam a protagonizar duelos de grande rivalidade e disputando títulos. Porém, um deles foi marcante, pela interferência política que teve. A Copa do Rei, que no período de Franco era chamada Copa del Generalísimo, foi marcante para o time em 1943. No primeiro jogo da semifinal, o Barça venceu o jogo de ida por 3 a 0. Com o resultado marcante, apenas um milagre classificaria o time merengue. Porém, o General Franco visitou o time do Barcelona e deu um lembrete que eles só estavam ali por conta do Regime por ele administrado. Resultado, o Real Madrid ganhou o jogo de volta por 11 a 1.

Para Franco, o Real Madrid não poderia perder nunca do Barça. O Real Madrid foi utilizado durante este período como peça chave para representar o poder da capital e do regime em cima dos demais. Isso politizou demais o derby mais importante e levou ao espetáculo futebol o clima de guerra para as equipes. A ponto de que a contratação de jogadores como Di Stefano fossem verdadeira batalhas morais pelas diretorias.

Amanhã, mais um capitulo desta epopéia ocorrerá. Para muitos jogadores, nada desta pequena história que mencionei será lembrada por eles. Mas muitos daqueles que estarão nas poltronas do estádio sabem destas e outras histórias que marcam esta novela cheio de capítulos movido a sangue e suor, literalmente. Se bem que hoje em dia, o suor transforma-se em belas jogadas, e é isso que espero que aconteça. Como pode ser visto abaixo:

25 de nov de 2009

Triple Play

Para quem não conhece o Baseball, é muito difícil explicar as suas diversas regras e jogadas possíveis. Por isso, o Ricardo Cobra fez uma compilação básica das regras do esporte em um post do Leva na Esportiva, tentando resumir ao máximo as regras básicas de uma partida. E ele pediu para os leitores falarem a respeito de uma jogada marcante do esporte. E eu lembrei desta aqui, que é mais difícil até do que roubar o homeplate. Veja este vídeo e entenda porque:

Para quem não entendeu o vídeo: Houve uma eliminação tripla, o que encerra o turno do ataque no bastão do time que estava rebatendo. Ela ocorreu porque houve uma eliminação por bola área, quando o rebatedor toca na bola e alguém da defesa consegue defender ela no ar, e por dois tags, quando os jogadores posicionados nas bases e de posse da bola tocam a luva onde ela está sendo segura no adversário que tenta conquistar a base. Note que neste vídeo o jogador da segunda base faz uma eliminação dupla e joga a bola de volta para o homeplate, onde outro jogador do ataque tentava completar uma corrida. Em suma, algo difícil e que exige muita atenção do time todo, pois envolve reflexo, força na mãos, velocidade e elasticidade na defesa.

E é isso que faz eu gostar um pouco de baseball.

Google testa nova interface

O Google tem testado uma mudança na sua interface de buscas na web e provavelmente ela estará a caminho logo. Na verdade, a mudança em si não é tão grande. Ele é baseado no layout já utilizado como padrão para o Google Noticias e iGoogle, pela coluna lateral com as informações colocadas em forma de tópicos (Imagens, Blogs, Notícias) e a opção para visualizar as buscas por data separadas por data. Além disso, existe uma sútil diferença na página inicial. A diferença é que como a mudança ocorrerá no site de buscas padrão, que é o carro chefe da empresa, isso atingirá uma gama de usuários mais amplos. Alguns comentários já dizem que está interface lembra a do Bing, que já foi acusada de plágio logo após sua apresentação ao público. O que vocês acham? Veja abaixo:

googlenewinterface

E existe uma forma de testar está interface em qualquer máquina. O procedimento para utilizar pode ser conferido no Google Discovery, neste post.

22 de nov de 2009

Grooveshark – A evolução

Novo layout do Grooveshark

Este post deveria ter sido feito faz algum tempo. Mas só agora tiver tempo para escrever. o Grooveshark, uma das melhores rádios web que existem, lançou sua nova versão. Esta versão teve um upgrade na parte visual é usabilidade imenso em relação a versão anterior. Agora, o Grooveshark permite uma maior variedade de customização da rádio online.

Primeira importante mudança é a inclusão de um menu de contexto quando você clica com botão direito em alguma música do Grooveshark. Com isso, é possível utilizar alguns comando comuns em cima das músicas, como play e stop, além de compartilhar suas músicas via Facebook ou Twitter. A segunda mudança é que a novo visual é intuitivo e não é baseado em cliques. Isso representa que a partir de uma busca você consegue ter acesso a todas as funcionalidades do aplicativo.

Ainda na parte de usabilidade, uma novidade é a presença das suas playlists cadastradas do lado esquerdo da tela, desde o momento que você faz o login na aplicação, lembrando muito o visual do iTunes. Com isso, fica muito mais fácil adicionar musicas durante a execução, além de gerenciar com muito mais facilidade. Outra boa novidade foi a inclusão de um player mais completo, que vai desde opções básicas como botão pause, até opção de gerenciamento da fila de música mais completo, com possibilidade de arrastar uma música para outra posição na fila ou adicionar diretamente em uma playlist.

Ainda existe algumas opções de customização legais, como criação de um widget para seu site com as músicas da sua timeline, opção de planos de fundo e alteração do tamanho dos ícones de musicas que estão sendo tocadas neste momento. E estas opções podem ser expandidas, desde que a pessoa adquira o pacote VIP do Grooveshark, por 30 dólares ao ano.

Enfim, para quem quer uma ótima opção de rádio online que fornece bastante recursos e uma gama imensa de funcionalidades, não tenho dúvidas da ótima opção que é o Grooveshark nesta nova versão. Recomendo!

13 de nov de 2009

Xphone – o gadget do futuro

Outro dia, no blog do Eric Messa, fiz o seguinte comentário a respeito sobre um possivel gadget que incluiria diversas features de diferentes midias. Veja reprodução abaixo:

“Aonde será que vai parar isso, eu imagino uma interface do tamanho de um celular, capaz de reproduzir holograficamente em 3D tudo. E este equipamento teria funções desde Cinema até identificação digital via um código único. Será que estou viajando muito? A convergência de serviços através da tecnologia atual é aparentemente mais simples e num ciclo menor de tempo que antes. Vendo um produto assim como este da HP, ou iMac ou até algum smartphone, acho que logo logo chegaremos algum hibrido desta minha idéia.”

Sobre isso, tem até um conceito um pouco mais complexo que rola na Internet faz algum tempo. Com vocês, o Xphone (em Alemão, mas nem precisa de tradução):

Gostei da torradeira SMS. O problema seria guardar eles para ler depois, com o cheirinho de torradinha… :)

12 de nov de 2009

Erro de Direito ou Erro de Fato?

As arbitragens neste brasileirão cometem sucessivos erros e erros durante todo o campeonato. As vezes alguns são relevados. Outros são discutidos a flor da pele entre os envolvidos, porém nada irá superar este lance abaixo:

No lance acima, é perceptível que o zagueiro Danilo está em posição legal quando a bola é lançada de volta para área do Sport. Entretanto, no momento do domínio da bola, é perceptível o som de um apito em campo. No momento do apito, todos os jogadores da linha defensiva do time pernambucano para e espera a invalidação do lance. Após a finalização do lance, o juíz olha para o bandeira e confirma o gol. Os jogadores do Sport reclamaram bastante deste fato após o jogo. O que eles não tinham noção é que este lance poderia invalidar o jogo todo.

A questão principal, que muito provavelmente será levada aos tribunais da justiça esportiva do Brasil é que no momento em que o Juiz apita o lance, o jogo automaticamente estaria parado e invalidado. Logo, a marcação do Gol poderia ser admitido como um erro de direito do juiz e não erro de fato.

Em algumas situações é aberto precedentes para que esta discussão volte á tona. Um erro de fato caracteriza-se por alguma ação dentro do jogo que juiz deixa de marcar por analise erronea dos fatos. Isso acontece em faltas mal marcadas, escanteios invertidos por algum detalhe do lance que não foi analisado. No caso do erro de direito, é um erro causado pela arbitragem que vai contra as leis principais do futebol. Para entendimento claro usarei um exemplo absurdo: Caso o juiz expulse um jogador e ele permite que o jogador continue na partida, isso é um erro de direito, que vai contra a leis do futebol.

Então, para algumas pessoas, ficaria claro que neste lance existiu erro de direito, uma vez que o Arbitro parou o lance e mesmo assim, o Gol foi validado. O problema pode ser na própria lei do futebol. No artigo 9 da lei do futebol, onde menciona quando a bola está em jogo e quando a bola está fora do jogo, é mencionado a seguinte frase quando ela está fora de jogo:

- O JOGO TENHA SIDO PARALIZADO PELO ARBÍTRO

Todos nós sabemos que a forma que o juiz alerta a paralisação da partida é através do apito como é mostrado na lei do futebol no uso do apito. Posto isso, é possivel alegar que o lance foi um erro de direito do arbitro. E como existe jurisprudência em cima destes erros para a anulação desta partida, a confusão está armada.

Pior que isso é que a anulação da partida é uma catastrofe no âmbito esportiva, uma vez que o resultado diferente pode beneficiar ambas as equipes e mudar a história do campeonato. Uma pena isso, pois um dos campeonatos mais equilibrados pode ser manchado por erros de arbitragens e atitudes insensatas dos dirigentes, que só ajuda a botar pressão na estrutura mal organizada dos homens do apito.

Para quem tem dúvidas sobre as regras do futebol, podem conferir neste link o documento fornecido pela Fifa sobre as leis “tão pouco seguidas” do esporte bretão.

11 de nov de 2009

Strange Days

 

Strange Days

Strange days have found us
Strange days have tracked us down
They're going to destroy
Our casual joys
We shall go on playing
Or find a new town


Yeah!


Strange eyes fill strange rooms
Voices will signal their tired end
The hostess is grinning
Her guests sleep from sinning
Hear me talk of sin
And you know this is it


Yeah!


Strange days have found us
And through their strange hours
We linger alone
Bodies confused
Memories misused
As we run from the day
To a strange night of stone

 

As vezes quando não há muito a dizer, é melhor simplificar através daquilo que já existe. Afinal de contas, não é sempre que Micro vestidos e falta de luz causam tanto problemas

10 de nov de 2009

A Estratégia do Twitter

O Twitter está entregando uma série de novas funcionalidades para gerenciar sua página web que estão gerando uma certa repercussão dentro da rede social. A primeira grande mudança foi a introdução de Listas, onde o usuário poderia adicionar outros membros sem necessariamente segui-los, desta maneira é possível filtrar e acompanhar esta informações de forma organizada e acessível.

A segunda grande novidade é o update automático da timeline. Após um determinado tempo (pelos meus calculos 15 segundos), é enviado uma informação de quantos tweets novos estão disponiveis das pessoas que voce seguê. Quando você da um clique nesta informação, aparece as atualizações na sua tela quase que imediatamente.

newtweet

A última novidade que está em fase de testes é o mecanismo para Retweet. A partir de agora, voce poderá acompanhar a evolução de um RT utilizando este botão. Além disso, existe uma área em separado para acompanhar RTs seus, de outros seguidores e pessoas que não estão na sua timeline. Além disso, repare na figura abaixo feita pelo Rene Fraga que existe também identificação visual através dos avatares das pessoas:

RT

Vendo tudo isso apresentado, fica claro que a intenção inicial é melhorar a experiência do usuário do Twitter através da pagina do servico. Porém, o fundo é mais amplo. Ao utilizar mais a Web, o número de requests aos servidores da plataforma ficam mais sincronizados. Junto com a limitação de uso por hora, o sistema no seu background fica mais estável. Além disso, o Twitter nada mais do que está integrando ao cliente web dele soluções que já eram existentes em outros clientes desktop, como TweetDeck, o Brizzly e o HootSuite.

Isso significa que estas funcionalidades são uma forma de incentivar os usuários a utilizarem mais a interface web. Dessa forma, como ja dito, poderá ser possível ver um ganho de performance e a sub utilização dos clientes que acessam diretamente a API do Twitter, que ajudaramm a expandir seu sucesso, mas que hoje em dia tornaram-se um pequeno problema para ser resolvido. Álias, o espaço deles ainda estão garantidos para navegação via celular, onde este apps tem forte incidência.

Como já foi muito divulgado, o Twitter tem um plano de expansão ambicioso para os próximos anos. Para dar certo, este momento será crucial para saber até onde e como eles deverão chegar. E este plano começou agora com esta mudanças, ainda acompanhadas das tradução dos menus divulgado para o inicio do ano. É esperar para mandar um tweet sobre o assunto…

5 de nov de 2009

Por um futebol melhor antes

Quando saiu algum tempo atrás na internet a noticia que a Globo Esportes, braço das Organizações Globo que negocia com clube dos 13 e a CBF a venda dos direitos de transmissão e de placas de publicidade do Campeonato Brasileiro, gostaria que o campeonato brasileiro tivesse pontos corridos, começou novamente a discussão sobre qual seria o melhor modelo para a disputa: na forma de Playoff, como foi muitas vezes disputado, ou seguir no jeito atual, através da “formula” dos pontos corridos.

Algumas das discussões referentes a isso são tipicamente discussões de botequim. Digo isso pois vejo muitos argumentos frágeis e que são facilmente desmontados. O que eu mais gosto de questionar é aquele que o sujeito diz: “Campeonato com playoffs é mais emocionante”. Quer dizer que a emoção do futebol não é mais relativa ao jogo, e sim ao campeonato e sua forma de disputa? Durante os 90 minutos de bola, ninguém pensa a respeito de qual é o modelo do campeonato. Todo mundo quer, primordialmente, ganhar o jogo.

Agora, existe sim uma razão para esta falsa impressão de que o campeonato com playoffs é mais emocionante que um campeonato com pontos corridos. Isso se deve a concentração de jogos importantes em um determinado período, no final. Mas ambos os campeonatos são marcados pelos jogos, e não pelo modus operandi deles.

É claro que não somente pelo lado dos playoffs existe este tipo de argumento. A favor dos pontos corridos, existe algo que tem tomado conta das rodas que é também um argumento muito duvidoso. Dizem que o sistema de pontos corridos é melhor porque obriga o clube a se organizar melhor. Ora, é pressuposto para qualquer time que queira ser campeão que tenha um mínimo de organização, independente do modelo. Até porque numa temporada regular existe espaço para torneio em ambos os formatos, portanto, o planejamento deve valer em ambos os casos.

No fundo, estes pontos só escondem os principais motivos sobre a escolha entre playoff e Pontos Corridos, que está muito além de paixões clubisticas e preferências dos torcedores. A discussão é diretamente ligada com a melhor forma de reverter renda para equipes, mesmo que de maneira imediatista. E existem pouca discussão em cima disso. Por exemplo, um playoff chama atenção para apenas alguns jogos, porém estes jogos terão uma procura muito maior e um retorno de mídia diferenciado em relação aos outros jogos que definiriam os classificados. Mas, como contraste, times que forem desclassificados precocemente teriam que pagar salários durante um período de inatividade.

Nos pontos corridos, os clubes estruturam as vendas de ingresso para todas as rodadas, como é feito na Europa. Entretanto, não temos estádios capazes de proporcionar o conforto necessário para que o torcedor crie o hábito de ir ao estádio. Como diz a Alessandra Colla Soletti Tussi ou Justale uma vez para eu, que odeia futebol, mas sabe muito de marketing, os dirigentes não se deram conta que um estádio de futebol deve ter uma estrutura comparável a de outro espetáculo cultural. É possível comparar um banheiro de um estádio com um banheiro de um teatro, por exemplo? Isso não fideliza o torcedor, e impacta diretamente uma possível venda de ingressos para temporada toda do seu time, uma vez que não existe nada que vá ao encontro das necessidades dele, muito pelo contrário.

E para completar esta discussão, ainda existem fatores que jogam contra ambos os sistemas de campeonato, como a indisposição de muitos dirigentes de estabelecer uma estrutura profissional que facilitasse alguma melhora nas condições para que algum modelo realmente atraia investidores dispostos a associar suas marcas com um produto bom em todos os sentidos.

Mas, se ainda ficamos em cima da discussão sobre qual o modelo de campeonato, em vez de pensar numa melhoria geral, fica bem difícil de termos algo bom. E esta discussão é gigantesca e deve ser tratada da maneira mais séria possível, já que isso também engloba em parte o que vem por ai na próxima Copa 2012

Ps: Mesmo achando a discussão inútil, minha opinião é a mesma da Lets_ no Twitter. Performance importa mais para definir o campeão! Mas não ligo que um campeonato em playoffs ocorra com o minimo de organização.