6 de fev de 2010

HTML5 VS Flash

Uma fala de Steve Jobs gerou um pequeno burburinho entre aqueles que desenvolvem aplicativos web utilizando Flash e ActionScript e os difusores do HTML5 como padrão de linguagem para a futura Web 3.0.

Jobs disse numa reunião da alta cúpula da Apple que o seu tablet iPad não teria suporte ao Flash porque logo o flash tornaria se obsoleto e que é uma plataforma que tem muitos bugs. Isso causou reações e muitas discussões sobre o que Jobs disse. Vários artigos foram escritos a favor ou contra a suas palavras. Porém, pouco foi escrito sobre as duas tecnologias neste período

O HTML5 é uma realidade recente. E uma realidade que começa a se expandir rapidamente. O Flash é um padrão comum e muito difundido no mundo todo. E ambos tem especificações bem diferentes

O Flash é bastante robusto como tecnologia, tem uma linguagem própria de programação baseada no Java Script para criação de elementos dinâmicos baseado em programação de objetos. Com isso, você pode elaborar os mais diversos recursos desde web pages completas como trabalhar apenas algumas áreas da pagina, criando pequenos formulários ou cabeçalhos animados, para interagir com usuários. O HTML5 é baseado na linguagem de marcação que está presente desde o inicio da Web, porém nessa nova roupagem utiliza elementos novos para controle de multimídia além de apresentar uma nova estrutura mais fácil de adaptar-se com os web standards, padrões de organização do código fonte para melhor compreensão de sua semântica.

Em conceitos, ambos atendem os requisitos necessários para o futuro da Web: interoperabilidade entre todos os elementos da página e utilização de multimídia. Porém, o background que envolve ambas as tecnologias irão fazer toda a diferença no futuro. O Flash procede seu processamento na máquina local, sendo necessário a instalação de plug-ins para permitir a utilização desta tecnologia. Está será a grande vantagem do HTML5. Após habilitado no navegador, ele enviará as requisições para o servidor web e não precisará de nada instalado na maquina local, apenas do processamento após receber os dados requeridos pela pagina. Além disso, o HTML5 terá uma usabilidade maior com elementos já existentes do HTML4 e XML, uma vez que é uma variação da estrutura deles. Além de tudo isso, o HTML5 já tem uma vantagem competitiva enorme, com sua habilitação no YouTube, antes mesmo de tornar-se recomendação para todas paginas criadas, que ocorreria em 2012.

Baseado em todas estas informações técnicas, não tenho dúvidas do potencial de crescimento do HTML5, porém a Adobe tem tempo para desenvolver novidades em cima da plataforma do Flash que mantenham o líder do mercado sua posição mesmo com esta nova plataforma aberta chegando forte.

Para aprender um pouco mais sobre o HTML5, veja esta palestra que meu amigo Eduardo Agni fez durante a Campus Party:

E para aqueles que querem conhecer a fundo a estrutura do Flash, recomendo esta documentação oficial da Adobe sobre a estrutura do Flash, em inglês.

Google+

Arquivo



Site Meter