28 de jan de 2010

Campus Party – Day Three

Networking ou Informação? Qual é o principal motivo da Campus Party? Comecei a pensar isso no terceiro dia. Algumas mesas tem excelentes profissionais, porém falta conteúdo a ser debatido. As questões propostas passam longe do interesse daquele que assiste. Aproximar aquele que está na platéia parece ser o principal entrave do evento nesta questão.

Ainda bem que estes eventos não estão mais presos a este tipo de protocolo. Uma vez colocada uma idéia na mesa, pode ser possível discutir ela em descoferências, com um grupo limitado de pessoas e todos eles expondo suas indagações sobre o tema. Com isso, não é possível afirmar que da Campus Party você sairá sem nada de novo. Pois o seu vizinho de bancada ou acampamento pode trazer exatamente aquilo que você busca.

Ora, e dentro deste processo já existe um networking natural entre todos os envolvidos buscando algo em comum. E isso é fundamental neste meio. Está é a importância de ter um evento que transmita do virtual para o real todas aquelas conexões que se estabelecem nas redes sociais.

Além disso, é preciso ter descontração. Diferentes áreas, com diferente objetivos trazem atores diferentes para atuar neste palco. Pode ser que os gritos do pessoal do Modding, quando tentam fazer um over-clocking numa máquina com sucesso, ou o visual diferenciado do pessoal de criatividade não devem ser encarados como um problema. Problema seria se o ser humano não tivesse essa diferenças.

Aliás, diferentes reações foi o aconteceram ontem após o anúncio do novo produto da Apple, o iPad. Na mesma mesa, gente falando que iria comprar imediatamente, outros falando que produtos da Apple não tem nada demais. A única certeza que fiquei depois de ontem quando vi as pessoas aqui dentro comentando sobre o anúncio é o seguinte: Ainda bem que somos diferentes um dos outros.

27 de jan de 2010

Coisas que só acontecem na Campus Party

Isso é o que acontece na Campus Party no período da MANHÃ. Preciso dizer mais?

Detalhe: Foram umas 15 vezes isso…

iPad – Netbook melhorado, Notebook reduzido ou telefone aumentado?

iPad

Já adianto: Minha resposta será nenhuma dessas alternativas acima. Não devemos pensar o iPad como um produto novo, porém, seria simplista demais comparar aos outros produtos da Apple como simplesmente um produto maior ou menor do que o outro. Ou iPad é uma tendência que cresce: Uma linha de produtos híbridos entre o Notebook tradicional e o Smartphone. Não importa se a comparação seja feito com um Netbook, como a Apple fez durante a apresentação do produto hoje, ou a outro produto da marca. Na verdade, a linha de comparação deve ser a mudança de paradigma entre produtos portáteis e os velhos conceitos de computadores. Além disso, a principal mudança está no coração da máquina: Um processador Apple, próprio, trabalhando de forma direta e integrada com os softwares desenvolvidos por terceiros através do SDK disponível pela empresa.

Portanto, a comparação simples não pode ser aceita logo de cara. Existe muito mais por trás do iPad. Por exemplo, as Apps que virão com o produto, como o New York Times e os eBooks, demonstram que ele vem suprir lacunas claras de outros produtos.

As dúvidas em cima do iPad deve ir além da questão do produto e sim da estratégia da Apple. Porque ela nunca atacou na área de Netbooks, por exemplo? Seria talvez porque estes produtos são normalmente mais baratos e sabemos que Apple segmenta seus produtos para classes sociais mais altas, com seu contrato de uso atrelado para alguma operadora durante um determinado tempo. Já sabemos que o iPad trabalhará muito mais próximo das redes 3G do que os smartphones tradicionais, haja visto os serviços neles pré-configurados. Logo, porque compara-lo com o que está por ai?

Talvez seja cedo demais para dizer se o iPad será um sucesso ou não. Mas eu acredito que a Apple não deu um tiro no pé, como Apple TV ou Mini Mac.

Campus Party Ao vivo

Para todos aqueles que querem assistir a Campus Party, abaixo eu coloquei o Embed com a transmissão oficial da Campus Party Brasil. Quem quiser poderá assistir a qualquer uma das palestras em tempo real. Veja:


Além disso, na área de Criatividade e Blogs, o @castrezana do Omedi está fazendo streaming de todas as mesas do dia. Para quem quiser assistir é só entrar no http://ustream.tv/channel/omedicast

Divirta-se!

Campus Party – Day Two

É impossível pensar algo aqui dentro. Muito barulho de todos os lados. Mas, pensando bem, talvez isto não seja um simples barulho. Enquanto de um lado na área de Criatividade temos monitorias sobre assuntos voltados a blogs, musica e design, fazendo a cabeça daqueles que fazem a cabeça da maioria das pessoas na web brasileira. Enquanto isso…

Do outro lado, muita diversão na área de Games, a mais lucrativa de todas as formas de entretenimento. E pensar que alguém duvido que videogames poderia trazer algum futuro… Agora, o futuro é feito através dos gráficos 3D e do som com qualidade digital muito mais potente que qualquer outra área no mundo.

A parte de Desenvolvimento talvez seja o background da Campus Party. É ali que os bons e velhos programadores e os velhos e bons analista tentam entender como a tecnologia pode ser usada para melhorar a forma de comunicação entre as pessoas. Tarefa fácil? Nem pensar. Existem tecnologias sendo discutidas faz quase uma década. Porém, nesta mesma década, houve tanta alteração que não será dificil encontrar mais formas para implementar o futuro.

Para alguns, a área de ciencia pode fazer isso também. Diria que ambas andam juntas. É preciso dos cientistas descobrindo novidades, estudando a fundo a idéia mais maluca, que um dia pode ser algo comum. E depois, o desenvolvimento que se vira.

Mas numa conversa de lado, numa roda entre amigos ou ainda conhecendo pessoas, você pode encontrar tudo isso de forma simplificada. E isso que é legal. O barulho pode até incomodar e deixar muitos fora de sintonia com o que está acontecendo aqui. Mal sabem que a mudança está no meio deste barulho.

Ps: É muito legal conhecer as pessoas do lado de cá, não como avatares, mas como personagens de um mundo complexo. Voce percebe como ficou pequeno perto dos passos rápidos da internet para aproximar as pessoas. Fato!

26 de jan de 2010

Desconferencia na Campus Party: Educação e Tecnologia

Será realizado durante a Campus Party a desconferencia sobre Educação e Tecnologia, que terá mediação da @samegui, @cybelemeyer e a @alinekelly. Será uma iniciativa para discutir os rumos da nossa educação em cima do universo digital que nós vivemos.

Para quem está na Campus Party, o evento será realizado a partir das 7 horas no Stand do Governo de São Paulo. Para quem não está na Campus Party e se interessa pelo assunto, existe o Streaming que transmitirá os debates no http://ambientesp.ning.com/page/campus-party-ao-vivo

Acessem e participem

Videocast Big One #7

E para aqueles que são fanáticos por Nascar, chega a edição número 7 do Big One, que desta vez foi no formato de Videocast. Thiago Raposo e eu tivemos a companhia de Rodrigo Mattar, jornalista dos canais SporTV e amante dos carros da Stock Car Americana. E ele derrama um pouco do seu conhecimento da categoria neste vídeo abaixo gravado durante o Grande Premio Cidade de São Paulo, realizado no final de semana. Obrigatório!

E não esqueçam de acessar o blog do Nascar Brasil. http://www.nascarbrasil.net

Café com Velocidade #102 – Videocast especial F-Indy

Thiago Raposo, Barbara Franzin e eu estivemos em Interlagos neste final de semana cobrindo o GP Cidade de São Paulo, com os 1000 Km de Interlagos, as disputas da F3 Open Brazil e a primeira etapa da Classic Cup 2010. E aproveitamos este momento para gravarmos um Videocast especial com o jornalista Celso Miranda, que também cobria o evento e concedeu uma super entrevista, contando tudo sobre o que ele espera da temporada 2010 da Formula Indy e sobre a São Paulo 300, a prova de abertura do calendário que será realizado nas ruas e avenidas do entorno do Sambódromo e do Anhembi. E desculpem a qualidade da imagem, mas o local era escuro mesmo…

Parte 1

Parte 2

25 de jan de 2010

Campus Party – Day One

A mesma fila de sempre. As mesmas pessoas de sempre. As mesmas indagações de sempre. E eu sempre me surpreendo com aquilo que vejo. Pela primeira vez participando no local do evento, a Campus Party mostrasse algo grandioso, mas que não perde o prazer por um segundo. Encontrar aquela carinha que você só conhecia no Twitter, Facebook ou Orkut da vida é diferente. E algo muito bom de ter. E não estamos falando de networking aqui, mas sim de troca de conhecimento e experiência de vida.

Muitas pessoas vêem isso como tempo perdido. Como pode ser tempo perdido, uma vez que você encontra pessoas que trabalham ou que se divertem com assuntos e temas ligados aquilo que você curte? Não tem como não gostar. Olha para um lado, tem o pessoal que se delicia com os games mais espetaculares e desafiadores do mundo. De outro lado, a galera do entretenimento digital, que faz você dar umas boas risadas e pensar sobre como você vê o mundo. Mais a frente, os astutos desenvolvedores e analistas programação digital, discutindo e propondo melhores soluções para o desenvolvimento de sistemas cada vez mais confiáveis. Perdido seria se eu não tivesse a oportunidade de estar aqui.

E sem contar isso, as empresas imbuídas de mostrar suas marcas de forma limpa, como a nova geração digital por anos quis, com transparência e compromisso. E junte a tudo isso com ainda uma administração do evento focada em proporcionar tudo de melhor para os mais de 6 mil “Campuseiros” e tantos outros visitantes da área aberta. Acho que não poderia dar errado nada, né? O conforto parece ser muito grande e a disposição para as atividades darem certo também.

Enfim, tudo isso mostra minha excitação e, porque não, o deslumbramento de estar envolvido nesta grandiosa festa. Estou dizendo isso porque eu poderia estar em casa, descansando com minha família. Mas para este mês de janeiro eu fiz uma escolha, e não foi apenas por uma conexão de altíssima velocidade, e sim por uma experiência de vida única e inigualável.

22 de jan de 2010

Como está o Jardim Pantanal

Alguns dias atrás, coloquei um post sobre os problemas políticos que ocorrem dentro do Jardim Pantanal. Desde então, as coisas tem piorado naquela região. A situação é caótica em todos os sentidos. Existem grupos, com finalidades politicas, que estão atrapalhando qualquer articulação entre prefeitura e os moradores da região.

E os problemas não param por aí. Tentativas de agressão contra os funcionários da prefeitura. Dificuldade de retirar as pessoas da áreas de risco. Problemas com uma empresa da região, que segundo os moradores, foi a culpada pelos problemas das cheias incessantes na localidade e a falta de vazão dos na área.

E para ilustrar tudo isso que eu falo, estas fotos foram retiradas hoje a tarde, dia 22 de janeiro, lembrando que apenas caiu uma garoa leve durante o dia. Repare que as fotos foram tiradas em um momento onde a água estava em um nível mais baixo. Vejas as fotos:

22-01-10_1409
22-01-10_1453
22-01-10_1455
22-01-10_1459
22-01-10_1515
22-01-10_1411
22-01-10_1458
22-01-10_1454

20 de jan de 2010

Café com velocidade 100 e 101

Olá amigos. Como alguns de vocês sabem, agora eu sou membro do Café com velocidade, Podcast de automobilismo com o Thiago Raposo e a Barbara Franzin. Minha participação no podcast já aconteceu em dois programas, porém por um lapso de memória não coloquei os links aqui no meu blog. Bom, antes tarde do que nunca, aí vai as duas primeiras gravações. Qualquer critica ou sugestão será bem vinda. Abraços!

2010/01/14 Café com Velocidade 101
Play Now!
2010/01/07 Café com Velocidade 100
Play Now!

13 de jan de 2010

Haiti: Onde Deus nunca botou as mãos

Catástrofe. Um pais que não deveria existir. Esta parece ser a sina do Haiti. Pais mais pobre das Américas, com uma população de 10 milhões de pessoas, majoritariamente abaixo da linha da pobreza. Com uma renda per capta de um pouco mais de 1 mil dólares por ano e expectativa de vida de apenas 61 anos, o Haiti figura sempre nas noticias por conta de seus problemas politico-sociais e de infra-estrutura. A opressão é marca registrada da pequena ilha localizado no meio do Caribe.

Desde sua independência, o Haiti nunca conseguiu progresso devido seu histórico de problemas. Passando pela família Duvalier, passando por Henry Namphy e por último por Jean-Bertrand Aristide, que foi presidente duas vezes da nação, mas nunca conseguiu eliminar os problemas gerados durante séculos. Mesmo com o sucesso da revolução no Haiti que libertou os negros das mãos dos francês e alçou um negro como líder do pais muito antes do que qualquer pais, o Haiti acabou sofrendo do mal de ter sido percursor do pensamento libertário na América.

Hoje, o Haiti vive uma de suas piores tragédias na história. Provavelmente, 3 milhões de pessoas foram atingidas. Muitas mortes serão reportadas. Não existe estimativa oficial de quantos são até agora, mas muitas perdas já são consideradas importantes, como Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança e referência no combate a desigualdade social. Ela fazia o que muitos Haitianos não acreditavam: que alguém pudesse olhar por eles e na melhoria de suas vidas. Mas a batalha, que era uma luta muito desigual, tornou-se quase impossível.

11 de jan de 2010

Fim para recomeçar

Interessante o que ocorreu no dia de ontem. Depois de ter seu conteúdo copiado diversas vezes, a Juliana DB, blogueira do Dicas Blogger, resolveu cancelar seu blog por conta destas ações (que depois mudou para férias por tempo indeterminado). Muito irritada com tudo que ocorreu, Juliana ainda lançou mão de vários comentários que chegaram no seu blog durante o dia para ilustrar os motivos do cancelamento. Muita gente discorda do fato, e vê até um pouco de drama nas atitudes dela.

Ela teve suas razões para fazer tal atitude, e ninguém pode discutir este motivos que levaram ela externar isso. Tem muita gente que fica bravo com assuntos menores. Mas naquele caso, tinha gente roubando o trabalho dela e que não fazia a menor questão de esconder o que fazia: utilizava brecha do algoritmo dos buscadores e das ferramentas de indexação para conseguir dinheiro com AD. Oras, quem gostaria de ver seu trabalho roubado assim e ficar quieto? Tem gente que comenta que isso é Internet. Analise pobre. Este é o ser humano, infelizmente. Age de maneira inescrupulosa, passando por cima de qualquer moral ou código de ética possível. E para que? Pois é, ai a coisa fica mais cavernosa…

Um meta-blog, assim como qualquer outro blog, precisa de 2 coisas basicamente para dar certo. Uma é conteúdo relevante, como qualquer blog. O segundo são mecanismos que façam o blog destacar-se nos mecanismos de busca. O problema é que conteúdo relevante implica em organização de trabalho, posts com linguagem simplificada para o leigo entrar no site e achar facilmente o dado que ele procura. E isso o Dicas Blogger tinha um destaque tremendo, pois o nível de organização era enorme. Mas pelo visto, o dono dos outros blogs não tem esta capacidade natural.

E ai entra uma outra coisa: você vem sistematicamente sofrendo com isso e nada muda conforme o relógio passa. Não está na hora de dizer um basta? Veja a atitude dela algo semelhante ao que faz a teoria de Camus sobre o suicídio algo tão polêmico. Afinal de contas, tirar a própria é uma covardia sem tamanho. Mas, e se fosse o contrário? Algo corajoso, que podem mudar conceitos e idéias sobre um fato. Talvez nem mesmo a própria Juliana pensou, mas a coragem que ela teve para jogar tudo para o alto pode mudar todo o ciclo de vida em volta dela. Se fossemos corajoso o suficiente para agir da mesma maneira toda vez que algo que nós repudiamos acontecesse, talvez algo mudaria.

A tecnologia por trás dos blogs é muito simples de usar. O conhecimento tácito é algo único e transformador. Jogar tudo para alto pode ser #mimimi para alguns, como pode ser filosofia pura para os outros. A única coisa que posso afirmar é que na pele da Juliana, agiria exatamente igual. Pois o que é dela, seu intelecto e sua capacidade, ninguém conseguirá tirar.

Embaixo da água e da intolerância

jardimromano

Jardim Romano, extremo leste da cidade de São Paulo. Bairro distante do centro da Cidade. População carente, baixa renda per capita. Esta nas manchetes todos os dias por conta da situação caótica que o bairro encontra-se devido as chuvas que provocam alagamentos constantes e que não acabam. Algumas ruas estão embaixo da água desde o final do ano passado. Nada poderia ser mais trágico do que ocorre lá. Mas a questão não é apenas a lama que cobrem as casas. Mas a lama que cobre o ser humano.

Interesses de todos os lados, medidas que não visam o bem comum, negociações falhas e falta de respeito com o próximo. Tudo isso incluso em meio as gotas que vêem do céu e que só aumentam a frustação de quem está embaixo.

O Jardim Romano não é uma região totalmente abandonada. Pelo contrário. Um Céu e uma estação de trem foram construídas naquele local. E ainda um trecho do Rodoanel passará perto daquela região, sendo que as primeiras obras já foram feitas. Além disso, algumas fábricas existem naquela região, como uma conhecida produtora de Pães e doces. Porém, nada disso afasta o problema. Em certos ângulos, até aproxima o problema.

A prefeitura de São Paulo age como se fosse uma instituição de caridade. Aqueles que estão com problemas, lhe dão dinheiro e diz “se virem!”. Foi o que aconteceu no Jardim Romano. A prefeitura entregou cheques com quantias no valor de 11 mil reais para as famílias que viviam em áreas de risco para saírem do local e pagar o aluguel de casas provisórias enquanto eram construídas moradias fixas da CDHU. O que aconteceu? Os moradores não saíram, e pior: com o dinheiro pago, compraram ou ampliaram moradias nas imediações das áreas de risco.

E a comunidade o que está clamando do outro nada? Nada que possa ser ouvido! Existe um líder da localidade, filiado ao PT, que não quer negociar. Aos gritos e berros, xinga o prefeito e o governador do Estado dentro de sua casa, em um local mais alto que as outras no mesmo bairro. Por sinal, a casa se destaca pela beleza no meio da região pobre.

Durante as últimas tentativas de negociação, muita poeira foi jogada nos olhos dos dois lados. A Prefeitura alega que fez sua parte, “auxiliando” com o dinheiro para o aluguel e dando todo apoio necessário. O apoio seria o cadastramento dos que estão em área de risco por equipes de assistentes sociais, que não ocorreu. Algumas pessoas da comunidade não estão querendo isso, alegando que não tem garantias de ir para os apartamentos da CDHU prometidos pelo governo do Estado.

Amanhã, dia 12/01, equipes da prefeitura tentaram cadastrar novamente as pessoas. Caso haja problemas de novo na comunidade, a tropa de choque será chamada para botar ordem na casa. Que talvez não seja ordens e que muito provavelmente não será a melhor solução.

Não existem bons moços de ambos os lados, mas apenas um será derrotado. Como sempre.

9 de jan de 2010

Entre Cabinda e Berlim

Dizem que o esporte podem ser um fato para auxiliar a integração social entre os povos e que ele é a celebração máxima entre diferentes sociedades. Mas, o que dizer quando o esporte sofre ataques de maneira tão covarde e baixa como ocorreu esta semana em Cabinda?

A seleção de Togo, que iria disputar a Copa Africana de Nações, teve seu ônibus alvejado por balas por membros do grupo separatista da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC) em translado para esta região, onde seria sua sede para disputa da CAN. Até o momento, foram confirmadas 3 mortes, o motorista e dois membros da comissão técnica, existindo a possibilidade da do goleiro do time togolês Kodjovi Obilalé, ainda não confirmada oficialmente. O ataque deve ter sido decorrência ao embate politico que existe entre o governo angolano e a frente separatista, que reivindica a liberdade do território. Veja o porque aqui neste texto.

A seleção de Togo confirmou que abandonará o torneio e que busca apoiou entre outras seleções. Times ingleses, maiores prejudicados pela ausência de seus atletas na Première League para disputa do torneio africano, já pediram o retorno dos seus atletas.

Ao ver notícias desta fato, minha cabeça tomou curso para o passado e lembrou imediatamente do que ocorreu nas Olimpíadas de Munique, em 1972, quando atletas da delegação de Israel foram tomados como reféns na Vila Olímpica da competição e posteriormente mortos pelo grupo Palestino Setembro Negro na própria. Evento correlacionado com todas as disputas politicas e guerras que afligem a região do oriente médio entre Israel e a Palestina.

O evento em si morreu. Ninguém nunca mais lembrou das festas desportivas. Muito provavelmente acontecerá o mesmo em Angola. E muito provavelmente a população Angola sofrerá durante anos com este evento. E tudo isso por conta do Petróleo.

E no fundo, fica a mostra a grande verdade para quem quiser ver: Esporte não traz a paz sozinho. Esporte não é nada sem uma politica social que impeça este tipo de eventos, controlados por pessoas que buscam apenas poder em nome de seus próprios nomes, e utilizam de soldados pessoas que não tem muitas escolhas. E fazem vitimas inocentes que apenas queriam competir entre eles. Seja em Berlim, seja em Cabinda.

3° Elemento

Tensão. As vezes você nem percebe isso. Só percebe na primeira vez que a voz embarga ou treme, por estar com medo de dizer algo errado. E você fica tenso, as vezes até com frio na barriga. Mas tem que ir em frente, vamos lá.

Mudança de planos. Mesmo que a mudança seja antecipada com bastante tempo,a preocupação persiste em tomar conta dos meus pensamentos. E ai você percebe o quanto você é insignificante perante o tempo. Mesmo tentando controlar, o máximo que você consegue é sentir a tesão voltando.

Tranqüilidade. Você percebe que poderá ficar tranquilo quando as coisas fluem naturalmente. Suas opiniões são valorizados e as idéias são trabalhadas em um grupo. Lembram daquele momento de tensão no inicio? Ele passa quando você se sente em casa.

Responsabilidade. Ao tratar com informação e com a paixão dos outros, o senso de responsabilidade aumenta. Não importa o número de ouvintes. Sejam 5 ou 50 mil. O respeito e compromisso de levar algo com qualidade e credibilidade é o mesmo. E isso é bom, pois motiva você a fazer o melhor.

Algumas das coisas que passaram na minha cabeça esta semana. Agora, sou membro efetivo do Podcast “Café com Velocidade”, com o Thiago Raposo, dono dos blog Café com F1, Na trilha do Rally, Moto-VelocidadeNascar Brasil, onde eu sou um dos colunistas, e a Barbara Franzin, do Velocidade.org, aonde eu também escrevo alguns posts. Adorei um convite por tratar de um novo desafio para eu, e espero que possa atender todas as expectativas, inclusive as minhas.

2010 ou 2012?

Alguns dias do ano novo assiste 2012. Novamente, o mundo acabou e poucos se salvaram. Um série de fenômenos climáticos em decorrência da atividade solar fizeram com que a humanidade fosse ameaçada do fim. E a solução encontrada por vários países foi a mesma de um certo livro, muito vendido e muito aceito como verdade por muitos no mundo. Enfim, um bom passa tempo para uma tarde chuvosa no meu período de folga.

E vem 2010, um novo ano que surge com muita expectativa, como é costumeiro no fim de qualquer ciclo. Porém, as noticias daqui lembraram um pouco o filme de ficção que fez um bom sucesso no ano passado. Pelo menos, o Cristo continua no lugar…

Mas é triste ver que muitas pessoas não terão um bom ano, uma vez que as perdas vão desde o lar construído com muita dificuldade, até parentes que acharam que iriam comemorar a virada como se fosse um recomeço, e mal sabiam que aquele momento era o fim.

Em algum momento no meio destas noticias, eu pensei que 2012 era uma lenda, e que a realidade era 2010. Triste lembrança que eu não gostaria de ter. E a vida segue, mas é difícil começar o ano e pensar nas pessoas que sofreram em Cunha, Guararema, Angra dos Reis, São Luiz do Paraitinga, Jardim Pantanal em São Paulo, Agudo. Meus sentimentos a todos que foram envolvidos por estes eventos.

Google+



Site Meter